Frete Grátis acima de R$99

Alergia a esmaltes - O que você precisa saber

 

 

Alergia a esmaltes - O que você precisa saber

Escrito por Larissa Chinaglia 

Larissa Chinaglia 

 

A alergia a esmaltes não costuma ser tão comentada por aí. Ainda assim, se você gosta de comprar seus próprios esmaltes provavelmente já reparou que existem alguns especiais para isso, certo? Agora me diz, o quanto você realmente sabe sobre o assunto?

Alergia a esmaltes - O que você precisa saber

O nome técnico para a alergia a esmaltes é dermatite de contato. Ela acontece quando a pele entra em contato com alguma substância ou objeto irritante, causando alergias ou inflamações. Além dos esmaltes, ela pode acontecer com bijuterias, plantas, cosméticos, entre outros.

 

E quais os sintomas?

Como a alergia a esmaltes não afeta apenas as unhas, pode ser um pouco mais complicada de nós identificamos sem um diagnóstico médico. 

Os sintomas são coceira, inchaço ou muita vermelhidão na pele dos dedos, olhos, face e até mesmo do pescoço. Os dedos também podem apresentar bolhas de água, pele seca e descamativa. Além disso, as unhas ficam mais frágeis e quebram com facilidade

Vale lembrar que a dermatite de contato pode não apresentar todos os sintomas acima, por isso, caso você já esteja sentindo algum dos indicativos citados, procure um dermatologista. Ele pedirá um teste de alergia, e você poderá identificar quais substâncias estão te causando esses problemas.


O que pode causar alergia a esmaltes?

As principais substâncias presentes em esmaltes que podem causar alergias são: DBP (dibutilftalato), Tolueno e Formaldeído. 

O DBP é utilizado para dar mais brilho aos esmaltes e o Tolueno é um solvente utilizado para melhorar a aplicação e acelerar o tempo de secagem. Já o formaldeído, também conhecido como formol, ajuda na durabilidade. Esse último é bastante conhecido por causar alergias e infelizmente está presente em diversos produtos.

Quem tem alergia a esmaltes pode sim continuar usando esmaltes, porém é necessário fazer algumas trocas. As opções são buscar esmaltes hipoalergênicos ou marcas que fabricam esmaltes sem as substâncias citadas acima. 

Nas suas pesquisas e compras, você pode encontrar o termo 3-FREE, ou seja, sem DBP, Tolueno e Formaldeído. Algumas marcas nacionais possuem toda a sua linha sem esses componentes alérgicos e com preços bastante acessíveis. 

Além disso, é indicado que pessoas com alergia a esmaltes deixem de usar acetona, e prefiram removedores. A acetona, além de deixar as unhas mais quebradiças e causar possíveis manchas brancas, elas podem causar mais alergias. 

 

São só os esmaltes?

Infelizmente não são apenas os esmaltes coloridos que podem causar alergias. As bases e até mesmo produtos fortalecedores para unhas também podem conter as substâncias alérgicas. 

Algumas marcas usam formaldeído na composição de bases fortalecedores. Por isso, é muito importante ficar de olho na composição dos produtos. De preferência a componentes mais naturais. No caso dos fortalecedores, nossa indicação é a Byonic.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a alergia a esmaltes, não deixe de conferir sempre a composição dos produtos que você está comprando. 

A alergia a esmaltes pode ser desenvolvida ao longo dos anos, e até mesmo quem nunca apresentou os sintomas, pode vir a ter um dia. Por isso, ainda que você não tenha a dermatite por contato, optar por produtos 3-FREE é a opção mais segura para sua saúde.